tna blog

Oriente Médio e África: Principais tendências que impulsionam o mercado local de petiscos

postado em 2 novembro, 2017 por

Embora a região do Oriente Médio e África seja a menor do setor global de petiscos salgados, com uma participação em valor de 2,5% em 2016, várias tendências mudam rapidamente os hábitos dos consumidores na área[1]. À medida que a África do Sul e várias nações do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC) sofrem uma rápida industrialização e urbanização, os compradores têm mais dinheiro e menos tempo livre, o que os leva a petiscos que se encaixem em seus novos estilos de vida.

Vamos explorar as três principais tendências de consumo que atualmente influenciam o mercado de petiscos salgados na região:

 

Visão geral

O mercado de petiscos salgados na região do Oriente Médio e África deverá crescer em um CAGR de 1,8% até 2021, gradualmente saindo de um declínio de 2011 a 2016. A África do Sul lidera a região, com uma participação em volume de 42,3% em 2016, mas a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos crescem de forma robusta e devem absorver parte da participação até 2021. As batatas chips compõem a maior participação em valor com 44,3%, seguidas de petiscos processados com 26,9%, e nozes e sementes com 19,8%. O Oriente Médio e a África têm uma grande população jovem que está mudando os padrões de consumo e, nos próximos anos, ajudará a impulsionar a demanda por petiscos salgados.

 

Tendência 1: portabilidade e conveniência

“50% dos consumidores não têm tanto tempo para cozinhar como gostariam … fazendo-os procurar produtos que possam economizar tempo para outras atividades mais favoráveis[2]

O Oriente Médio e a África estão se tornando mais ocidentalizados e industrializados, o que significa que os consumidores têm menos tempo para cozinhar e estão em movimento com mais frequência. Como resultado, a portabilidade e a conveniência desempenham um papel maior nas decisões de compra. Some a isso os níveis cada vez maiores de renda disponível, principalmente na África do Sul e nações do GCC, e o resultado é consumidores que querem petiscos com mais frequência – entre as refeições, substituindo uma refeição e como uma recompensa após um dia estressante e ocupado – portanto, eles desejam opções de petiscos fáceis de aproveitar em qualquer lugar e a qualquer momento.

 

Tendência 2: petiscos saudáveis

“Nas regiões do Oriente Médio e África, os petiscos salgados com os benefícios da ‘Gestão de Peso e Forma’ foram mais populares na participação de 89% dos benefícios gerais de saúde e bem-estar[3]

Mesmo que os compradores do Oriente Médio e da África queiram mais conveniência em seus petiscos, eles não esqueceram a questão de saúde. Um número crescente de consumidores prioriza dietas mais saudáveis e mais equilibradas. Muitos procuram produtos com sabores naturais e ingredientes menos processados, além de fazer um esforço para reduzir ou evitar o consumo de sódio, açúcar e gordura. Em particular, as gerações mais jovens, como a geração Y, estão cada vez mais cientes de como a dieta afeta os problemas de saúde, como obesidade e diabetes. Vários governos da região também fazem sua parte para incentivar a alimentação saudável. Em 2016, a África do Sul implementou uma regra que restringe o teor de sódio em alimentos processados, como batatas chips, a 650 mg[4]. Enquanto isso, vários países do Oriente Médio implementam impostos sobre alimentos e bebidas açucaradas. Como resultado, os fabricantes veem uma demanda crescente por petiscos saborosos, mas também baixos em gordura, óleo, ingredientes artificiais, açúcar e/ou calorias.

 

Tendência 3: experimental e novo

“52% dos consumidores na África e no Oriente Médio estão dispostos a experimentar alimentos novos e inovadores quando fazem compras no supermercado.[5]

 Os consumidores no Oriente Médio e a África estão cada vez mais atraídos por experimentar petiscos novos ou inovadores, especialmente produtos que são reinvenções de alimentos tradicionais, petiscos ocidentais e alimentos estrangeiros obscuros. Essa tendência tem dois fatores principais: Primeiro, a crescente afluência da região está dando aos consumidores mais liberdade em suas decisões de compras, pois sua renda disponível permite comprar produtos diferentes e novos. Em segundo lugar, a grande população jovem da região tem mais probabilidades de experimentar novos sabores, o que pressiona os fabricantes de petiscos a oferecer opções de petiscos novas e inovadoras.

 

Olhando para o futuro

A pesquisa da Global Data indica que a participação da região nos setores de produtos lácteos/soja e assados/cereais crescerá até 2021, enquanto petiscos salgados permanecerão estáveis[6].

A mudança na economia de muitas nações no Oriente Médio e África apresenta várias oportunidades para os fabricantes de petiscos. À medida que esses consumidores ficam cada vez mais conscientes da saúde, com mais renda disponível e menos tempo livre, eles buscam produtos que não deixem peso na consciência e sejam fáceis de consumir. Mas eles também querem sentir que estão comendo algo especial e diferente. O desafio – e a oportunidade – para os fabricantes será identificar os produtos certos para atender a essas demandas diversas e em rápida evolução.

Venha nos ver na Gulfood Manufacturing (estande A4-36) ou na Propak Cape (estande 1/A17) para descobrir como as soluções de processamento e embalagem prontas e completas podem ajudá-lo a encarar de frente as últimas tendências!

 

[1] “Oportunidades no setor global de petiscos salgados,” Global Data, junho de 2017
[2] “Novas tendências de alimentos na África e no Oriente Médio”, Canadean, novembro de 2015
[3] Global Data, junho de 2017
[4] Global Data, junho de 2017
[5] Canadean, novembro de 2015
[6] Global Data, junho de 2017

 

categoria:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *